13 agosto 2014

Chá de Fraldas

Pensei, pensei de novo, quase decidi por não fazer o chá dessa vez...
mas resolvi fazer, afinal não é porque é uma segunda gestação que não merece o carinho e atenção que uma primeira gestação teve.
Mas dessa vez não foi um Chá de Bebê, como foi o da Beatriz, com brincadeiras, muitas convidadas e muitos gastos em decoração e afins. Foi um Chá de Fraldas. Algo mais íntimo, sem brincadeiras, somente um café da tarde pra reunir as amigas e registrar o momento, e em contrapartida receber um estoque de fraldas hiper necessário.

Tá aí o resultado.

Convite em papel aspen, feito por mim.

Bolachinhas (lembrancinha) da Graciela Duwe


Trilhos, jogo americano, bandeirolas e bilhetinhos para recados da Liebe Papier Scrap



Mosquitinho, hortência e alstroméria da Lisiantus Floricultura


Bolo, docinhos e salgados da Especialidades Pasqualini


Ursinhos Teddy da Babylee

Obrigada a todas amigas que compareceram!!!



07 agosto 2014

Oitavo mês

Mais 1 mês... 1 mês e 2 semanas no máximo.
E conhecerei o rostinho do meu Lucas.
Muita ansiedade pra que esse dia chegue.
Muita vontade de ter um bebezico pequetito no colo. Muitas saudades de amamentar.
Muita curiosidade pra ver como a Beatriz vai reagir. Acredito que ela será uma irmãzona, vai cuidar, dar carinho e atenção. Assim esperamos! Assim estamos ensinando ela a ser.
Pelo menos o carinho ela está demonstrando já agora, quando chega perto de mim, levanta minha blusa, acaricia minha barriga e conversa com o Lucas, enchendo minha barriga de beijos. Uma delícia!

Fora essa delícia toda as dores no ciático continuam a mil, as posições pra dormir já não são confortáveis e por isso a insônia insiste em me visitar toda madrugada. E pra completar a Beatriz anda dormindo bem mal, ou melhor "acordando toda madrugada chamando por mim", aí lá vai a mãe pro quarto dela dormir na cama grande com ela.

Ganhei até agora 8 kg e aparentemente nenhum inchaço por enquanto, mas sei que esse último mês é o que pega realmente. Pra prevenir faço drenagem linfática desde os 4 meses e acho que está ajudando.
Que continue assim!

Nenhuma estria, graças aos cremes e óleos que passo de 2 a 3 vezes por dia.

Lucas continua mexendo MUITO, de manhã, de tarde, de noite e de madrugada. Não tem hora pra ele.
É uma sensação maravilhosa e já fico nostálgica pensando que é muito provável que essa seja a última gestação e que não terei essa sensação novamente.
Mas é assim... tudo que é bom dura pouco. E olha, apesar de ter passado já 8 meses parece que foi mês passado que descobri a gravidez! Loucura!!!

Sábado farei o Chá de Fraldas, antes que não consiga mais curtir esses momentos por conta do tamanho da barriga e desconforto... e depois venho aqui pra contar como foi.

Beijos pra quem ainda passa por aqui.

Barriga de 7 meses - já cresceu bastante desde então

31 julho 2014

Fotos da família

Na gravidez da Beatriz eu fiz um ensaio com 26 semanas de gestação AQUI

Na gravidez do Lucas não podia deixar de fazer, mas em vez de fazer em estúdio optei por fazer em casa.
Estava com 27 pra 28 semanas.
Fotógrafa: http://www.tainaclaudino.com.br/

Amei o resultado!












21 julho 2014

Diferenças

É incrível como a 2ª gestação é diferente da 1ª.
E não é só nos aspectos emocionais mas também nos físicos.
Tinha falado um pouquinho sobre isso AQUI, no início da gestação, mas hoje, com um pouco mais de 7 meses posso adicionar muito mais.

Quer ver?

1ª Gestação: muita ansiedade, preocupação e medo
2ª Gestação: tudo é mais tranquilo e o maior medo é de não conseguir dar a atenção que o primogênito merece

1ª Gestação: cólicas nos primeiros 3 meses
2ª Gestação: nada de cólica

1ª Gestação: nada de enjoo
2ª Gestação: enjoo nos primeiros 3 meses

1ª Gestação: pouca azia em determinados períodos
2ª Gestação: azia na gestação inteira

1ª Gestação: muitos presentes
2ª Gestação: pouquíssimos presentes

1ª Gestação: muito cuidado nos afazeres domésticos
2ª Gestação: pouco cuidado

1ª Gestação: pouco stress
2ª Gestação: muito stress por conta de já ter uma filha solicitando a presença da mãe a todo instante

1ª Gestação: Muito sono
2ª Gestação: Muito sono ao quadrado

1ª Gestação: Barriga mais espalhada
2ª Gestação: Barriga mais pontuda

1ª Gestação: Barriga apareceu depois do 6ª mês
2ª Gestação: Barriga começou a aparecer muito mais cedo

1ª Gestação: Chutinhos começaram a ser sentidos lá pela 20ª semana
2ª Gestação: Chutinhos começaram a ser sentidos na 15ª semana

1ª Gestação: Só alegria
2ª Gestação: Muitos episódios de angústia, choro, incapacidade

1ª Gestação: Gastos desnecessários com o enxoval
2ª Gestação: Gastos somente com o essencial

Essas são só algumas diferenças que me lembrei agora.
Mas há uma ENORME SEMELHANÇA, que tenho certeza que TODAS as mamães de segunda viagem passam nas duas gestações:
AMOR incondicional e que só cresce.
Pelo primogênito e pelo segundinho.

E vocês meninas?
Também sentiram bastante diferença?

08 julho 2014

Gosta ou não gosta?

Em cada fase as mudanças e progressos se tornam mais evidentes e a personalidade e vontade própria vão se fazendo presentes cada vez mais.

Hoje, por exemplo:


A Beatriz AMA:

Polenta
Sopa
Feijão
Batata
Carne de fígado
Clara do ovo
Iogurte de morango
Yakult
Folhas de hortelã
Picolé
Sorvete
Chocolate
Café
Suco de uva integral
Cama elástica
Brincar de pula-pula na cama
Desenho da Peppa
Desenho do Caillou
Ficar descalça
A cor "Pink"
Jogar bola
Passear no shopping
Ir no parquinho
Ver vídeos no celular e brincar com os aplicativos infantis
Dormir juntinho da gente

A Beatriz GOSTA:

Brócolis
Couve flor
Salsicha
Maçã
Cenoura ralada
Gelatina
Música
Livros
Desenhar 
Brincar de esconde-esconde
Passar batom
Pintar as unhas
Usar vestido

A Beatriz NÃO GOSTA:

Sentar para fazer as refeições
Legumes e verduras
Tomar banho
Escovar os dentes
Trocar de roupa
Amarrar o cabelo
Ir pra creche

A Beatriz ODEIA:

Amendoim e qualquer coisa que tenha amendoim no meio
Colocar tiara ou presilha no cabelo
Usar o mesmo talher para comidas diferentes (por exemplo sopa e iogurte na mesma refeição)
Ser acordada
Água nos olhos enquanto toma banho

E assim ela vai se moldando e nos mostrando quão igual e quão diferente ao mesmo tempo ela é da gente.

Beatriz, mamãe te ama do jeitinho que você é!!!










23 junho 2014

Um ciclo se encerra

Nosso 1º lar depois de casados.
Foram 5 anos e meio...onde passamos por momentos muito felizes.
Onde descobrimos as 2 gestações.
Onde passávamos diariamente pouquíssimo tempo, mas nos sentíamos muito bem e sempre tínhamos vontade de ficar mais.
Tudo foi feito do nosso jeito, do nosso gosto e até o último momento mantivemos com muito amor e carinho o nosso querido lar.
Agora é hora de nos despedirmos.
E dá uma certa tristeza. Mesmo sabendo que será melhor assim e que no próximo lar será igualmente de felicidade.
Mas dá uma tristeza maior em pensar que a Beatriz não se lembrará de nada do que passamos nós 3 juntos aí nesse cantinho.

Adeus ao nosso pequeno cantinho repleto de amor!



 Desenhando enquanto papai e mamãe encaixotam as coisas

 Arrumando seus livros

 Primeiras prateleiras vazias. Que dó!


Sempre disposta a ajudar, no que for!

12 junho 2014

Baby Lucas serelepe

SE-RE-LE-PE

É o adjetivo mais adequado para esse baby de 6 meses que não para quieto dentro dessa barriga que já está enorme!
Ele pula, ele vira, ele chuta, luta boxe, tem soluços, dá petelecos e é bem provável que esteja fazendo algumas posições de pilates também, tamanho é o mexe mexe dentro de mim. Uma delícia!!!

Fora essa sensação deliciosa outras nem tanto andam me incomodando bastante, como por exemplo a azia e a pior de todas, a dor no nervo ciático, bem no quadril, dos 2 lados. Tem horas que não dá nem pra se virar na cama, tamanho desconforto. Uia!
Mas sei que tudo isso vai passar assim que o serelepe nascer.
E olha que já está logo aí. E parece que tem tanta coisa ainda pra fazer.
Queria parar o tempo um pouco, pra curtir mais essa gravidez. Ao mesmo tempo que queria que chegasse metade de setembro de uma vez, pra conhecer o nosso filhotinho.

Mas... cada coisa no seu tempo.
E agora é tempo de deixar as coisas em dia, de arrumar tudo, de se programar e de dar total atenção à Beatriz.

Rumo aos 7 meses!


19 maio 2014

Ele não é mais um sem-nome

Então meu filho,
a Beatriz te chamava de "neném" e eu te chamava de "bebê", mas agora, em conjunto com o seu pai, definimos o seu nome.
Você se chamará LUCAS

Às vezes, quando peço pra Beatriz qual é o seu nome ela me responde umas coisas absurdas, como por exemplo: "ABACATE".

Agora está numa cisma de que você se chama "GUSTAVO". Acho que porque o nosso obstetra tem esse nome, e ela gravou.

Mas quando ela resolve falar sério ela te chama de "LUCA".
Uma fofa.
Te oferece chupeta, colocando a plasticuda no meu umbigo e diz "Qué Luca?".
Dá beijinhos na barriga. Faz carinho. Pergunta se está tudo bem dentro da barriga.

Uma fase deliciosa.

Tenha uma certeza Lucas: Nós te amamos muito!

Deitadinha em cima do irmãozinho

14 maio 2014

Hoje é dia de:

PARABENIZAR o meu grande amor pelo seu aniversário!

Jonas,
obrigada por tudo!
Obrigada pelo amor que me tem dedicado.
Obrigada pela paciência.
Obrigada pela compreensão.
Obrigada por ser um pai maravilhoso.
Obrigada pela Beatriz.
Obrigada pelo Lucas.
Obrigada pela linda família que estamos formando.
Eu te amo e desejo que o seu dia seja maravilhoso.
Felicidades!!!



11 maio 2014

Dedicação integral aos filhos - não é pra todas

Hoje uma pessoa veio me parabenizar por eu estar esperando um menino, disse que o sonho de todos os pais é ter um casal, apesar de eu não concordar com essa afirmação, e aí começou a falar da criação dos seus 2 filhos (homens):

Quando eles nasceram, quase nos anos 90, sua mulher ficou 10 anos em casa, sem trabalhar, somente pra se dedicar à maternidade. Eles nem chegaram a frequentar uma creche. Tinham a mãe 24 horas por dia. E ele ainda enfatizou que isso foi muito importante para a educação dos filhos e que toda mulher deveria ficar um tempo considerável com seus filhos em casa, sem trabalhar. Não desmerecendo a mulher no campo profissional e sim enaltecendo a mulher MÃE.

OK
Concordo
Seria muito bom se todas as mães tivessem esse privilégio e se seus maridos ganhassem o suficiente pra arcar com todas as despesas.
Mas hoje em dia simplesmente não dá!
A não ser que a família opte, em comum acordo, em abdicar de muita coisa, especialmente material, pra poder dar essa dedicação integral aos filhos.

No caso dessa pessoa, os tempos eram outros.
Onde se podia viver bem e feliz com pouco.
Não haviam os eletrônicos tão almejados hoje em dia. Não havia um bombardeamento de comerciais e a disponibilidade dessas coisas tão almejadas na época não era tão fácil.
Pra ter uma ideia, na minha infância entre 7 e 12 anos os meus sonhos de consumo nas datas como Natal e aniversário eram: penal do Paraguai, Barbie, bicicleta, patins...
Hoje em dia o que uma criança quer?
Smartphone, Tablet e por aí vai.
Como um pai de família consegue arcar com tudo dentro de uma casa se somente ele trabalhar fora?

Eu trabalho fora, meio período, por opção. Não me arrependo.
Meu marido ganha muito mais que eu e até acho que daria pra viver igual mesmo se eu ficasse em casa com meus filhos o dia inteiro (assim como sei que muitas de vocês que estão lendo também não trabalham fora e nem por isso mudaram o nível de vida).
Mas estou pensando nas mães cujos salários são essenciais pra sobrevivência da família.
Coitadas.
Elas não têm nem a opção de escolha.
Essas sim passam pouquíssimo tempo com os seus bens mais preciosos e quando se dão conta o tempo passou, os bebês já cresceram e nada voltará atrás.

Ser mãe é o trabalho mais cansativo (física e mentalmente) que uma mulher pode ter.
Mas é o trabalho mais prazeroso, mais recompensador, mais gratificante também.
E não recebemos em dinheiro.
Recebemos em sorrisos, carinho e abraços.

É uma pena que a maioria das mães não possa se dedicar a esse trabalho integralmente ou quase que integralmente.

E uma pena maior ainda que esse trabalho não remunerado não seja valorizado por muitas pessoas.
Pois pode ter certeza, se você ficar um dia inteiro com seu filho em casa, muitos (que não tem filhos e/ou especialmente homens) pensarão: "Que inveja. Ela tirou um dia de folga".
Ou pior, na licença maternidade pensarão que você está de férias. Isso aconteceu comigo. Voltei de licença e me perguntaram como foram as férias, sem tom de ironia nenhum.

Essas pessoas não param pra pensar em tudo que uma mãe faz numa casa.
Em tudo que ela faz por um filho e pelo marido.
E com certeza não devem valorizar o suficiente sua mãe e sua mulher.

Por essa razão, hoje quero parabenizar TODAS AS MÃES, por todo tempo dedicado aos seus filhos e por terem o mais difícil trabalho do mundo e mesmo assim agradecerem a Deus por isso.
Feliz Dia das Mães a todas vocês!

E especialmente um Feliz Dia das Mães à minha mãe, que é o meu exemplo de vida!